O que saber antes de matar sua próxima barata?

Há 300 milhões de anos, nas florestas densas e úmidas, viviam mais de 8 espécies de baratas. Os exemplares mais antigos podem datar 450 milhões de anos. Elas assistiram os continentes se separarem e puderem se espalhar até pelo ártico. Sobreviveram a eras glaciais e observaram a extinção de milhares de outras espécies. As baratas acompanharam nossa evolução, da descida das árvores, aos novos edifícios de 40 andares e resistem aos maiores feitios atômicos da humanidade. Elas representam um poder arcaico adaptável, flexíveis e resistentes. Não a toa, muitas tentativas frustradas de mata las, nos traz uma derrota, com os melhores inseticidas, sapatos, assim ela desaparece…. e logo reaparece na outra sala. Suas patas, possuem pilosidades como pelos, que são sensíveis as mínimas alterações no ambiente. Capazes de detectar um tremor de terra de 0,7 na escala Ricther. Sua boca é adaptada a comer qualquer coisa, entre cabelos, unhas, cola, tinta e sabão, ou até papel. Nas fantasias humanas, trazemos a visão do ocidente que relaciona essas estranhas criaturas da terra com seres temidos, ligados hora por bruxaria, sujeira ou doenças, já foi relacionada até a asma, embora algumas pessoas possam ter realmente alergia a baratas, estudos clínicos com controle das baratas no ambiente não demonstraram qualquer sucesso. Talvez pelas suas escolhas de viver na terra, boeiros e preferirem a escuridão, são vistas como um ser não de luz.

Quando comparamos aos mosquitos, um dos seres mais mortais aos humanos, as baratas são inofensivas, não se classificam como vetor de doenças e não se alimentam diretamente de nosso sangue, pele ou fluidos. Diferentemente dos mosquitos, carrapatos e pulgas. Mesmo assim, não imagino alguém em cima de um banco ou gritando ao se deparar com um mosquito que causa dengue ou febre amarela. Talvez seja seus movimentos imprevisíveis e velocidade fenomenal – em relação ao seu tamanho, eles são um dos animais terrestres mais rápidos da Terra – evoluíram como mecanismos de fuga para fugir de predadores. Os imparciais na análise, reconhecem nas baratas um antecessor invejável.

Um exemplo de sabedoria, resistência, aprendizado e evolução. Uma egregora protetorados lares, essencial ao ciclo da vida. Um emblema de continuidade, resistência e sobrevivência que tratamos como vermes. Sua forma – uma aula de design esquisito, porém moderno e divino – é extremamente sabia em permitir ampla circulação nas mínimas frestas e asas retráteis para voar. Algumas chegando até 30 cm de envergadura ( como as baratas do rosto divino da américa central). Suas patas articuladas e sensíveis permitem rápida locomoção também na terra.

Nas florestas são essenciais para o processo de compostagem. Ela também nos visita frequentemente no mundo dos sonhos, muitas vezes nos mostrando a ativação de algum processo antigo. Nada mais justo para estes seres anciões que podem nos ensinar a lidar com nossos medos e psiques.

Longe de criar baratas no meu quarto, como fiz na infância. A ideia é frente a elas ignorar, ou antes de sapatear a próxima barata na sua casa, admire a natureza, afinal você esta a frente de um ser muito mais evoluído do que nós e que muito provavelmente irá assistir nossa história até o fim.

FATOS CURIOSOS:

O CHEIRO:
Seu fedor também é indicativo de um propósito subjacente. A razão pela qual as baratas esmagadas cheiram como um banheiro que parou é porque elas armazenam resíduos nitrogenados – especificamente ácido úrico – em sua gordura para reciclagem.

SUA TEXTURA:
Escorregadia deriva de uma cera à base de lipídios que sua cutícula segrega para evitar a perda de água.
– Baratas existem em todo o mundo, com exceção das regiões polares.
– Baratas usam feromônios para atrair parceiros

COMO COMIDA
Na China, as baratas tornaram-se populares à medida que a medicina e a
agricultura barata crescem com mais de 100 explorações. [83] As baratas são fritas duas vezes em uma wok de óleo quente, o que as torna crocantes com vísceras moles que são como queijo cottage. [84] [85] Baratas fritas são moídas e vendidas como pílulas para problemas de estômago, coração e fígado.

No México e na Tailândia, as cabeças e as pernas são removidas e o restante
pode ser fervido, refogado, grelhado, seco ou em cubos

Referência
– New insights into cockroach allergens, Anna Pomés, Curr Allergy Asthma Rep. 2017 Apr; 17(4): 25.
– https://en.wikipedia.org/wiki/Cockroach
– THE ARCHIVE FOR RESEARCH IN ARCHETYPAL SYMBOLISM , SYMBOLS GUIDE

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *